quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

APRESENTAÇÃO MP MULHERES

1.      APRESENTAÇÃO

A Associação MP Mulheres é uma organização sem fins lucrativos, criada em 1999 a partir da iniciativa de um grupo de mulheres atuantes em prol: da solidariedade, do empoderamento da mulher, da empregabilidade, da qualificação profissional, do empreendedorismo individual ou social através do associativismo ou cooperativismo, do respeito ao meio ambiente, do enfrentamento a todo tipo de violência contra: mulher, criança, adolescente, idosa (o) e família, do respeito mútuo e do trabalho em conjunto para o bem social.

Nossa Instituição iniciou uma parceria com a Prefeitura de Belford Roxo em 2005, ainda como Fórum de Mulheres, tivemos o 1º Encontro de Mulheres, realizado pela Prefeitura com a parceria do ABEU e Movimento de Mulheres com a presença de 800 mulheres, mantendo está parceria auxiliando na construção de Políticas Públicas para as Mulheres no Município, com nossa atuação na elaboração e implantação em 2006 do Projeto “ Centro de Referência à Mulher – CRAMBEL”, hoje com a nova nomenclatura de CEAMBEL, em 2007 dando continuidade à parceria com a Prefeitura montamos Feira da Mulher Empreendedora, voltado para Economia Solidária vinculada organicamente ao CRAMBEL.

Nossa legalização ocorreu em 2010, na cidade de Belford Roxo, Mantendo a parceria com o Poder Público Municipal, atuamos como parte da Rede Secundária de Atendimento à Mulher, até a presente data. Participamos de formo direta no 1º e 2º Encontro de Artesãos de Belford Roxo e Região (2014 e 2015), realização: MP Mulheres, Prefeitura de Belford Roxo e Superintendência da Mulher, apoio FESBEL (Fórum de Economia Solidária de Belford Roxo, administrado pela MP Mulheres).

Hoje atuamos além de nossa atuação em Belford Roxo com parceria do Poder Público Municipal e de outras Instituições, nos estendemos para outros municípios da Baixada Fluminense e no Município do Rio de Janeiro de forma direito e/ou em parceria com outras Instituições, atuamos com os seguintes Projetos: CIDADANIA É UM DIREITO DE TODOS (Acolhimento, Atendimento e Orientações Diversas: Jurídica, Previdenciária, Bolsa Família, Cadastro único, Fornecimento de Declaração de Residência, Enfrentamento a Violência Doméstica, Curso de artesanato, Economia Solidária e etc.) Temos também os projetos: BALCÃO DE EMPREGO (Encaminhamento para: Feira de Empresa, agencias e particulares); CURSO DE CUIDADOR DE IDOSOS (Na grade do curso além do conhecimento do cuidar, acolher, trabalhamos com o Estatuto do Idoso, a legislação trabalhista, noções básicas da saúde preventiva e etc.); CURSO DE FORMAÇÃO DE LIDERANÇA; CURSO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA E ARTESANATO (Desenvolvimento sustentável, reciclagem, artesanato, fundo solidário, desenvolvimento humano, respeito ao meio ambiente e etc.); MULHERES QUE LUTAM MUNDAM O MUNDO (Combate à violência doméstica e sexual, através de palestras oficinas, acolhimento, orientação, encaminhamento e monitoramento).

Projetos já desenvolvidos na Instituição: BRASIL ALFABETIZADO (alfabetização para jovens e adultos; SAÚDE AO ALCANCE DE TODOS, parceria com clinicas ou/e profissionais liberais (Consultas com: Massagem Terapêutica e Modeladora, Angiologista, Cardiologista, Neurologista, Clinico Geral, Ginecologistas, todo atendimento com preço popular, exame de vista computadorizado gratuito, com óculos a preço popular). Em 2014 nos tornamos a Instituição de Apoio, Assessoria e Fomento do Fórum de Economia Solidária de Belford Roxo - FESBEL, em 2015 cadastramos para um Evento 120 artesãos, em parceria com a Prefeitura de Belford Roxo.

Em julho de 2016 a Instituição conquistou o Título Municipal de Utilidade Pública Lei 1.537, a Lei Municipal 1.538 de Fomento à Economia Solidária.

A MP Mulheres tem como objetivo a criação e o desenvolvimento de projetos e ações sociais nas áreas da educação, geração de emprego e renda, enfrentamento a violência doméstica, combate à miserabilidade, o incentivo a Economia Solidária, ao esporte e saúde para as famílias em vulnerabilidade social, hoje temos aproximadamente 310 Associadas (os), 1287 usuários em nosso antigo Polo (Jardim do Ipê) e 4.610 distribuídos em nossos diversos núcleos. Nossa Instituição, hoje está responsável pelo Fórum de Economia Solidária de Belford Roxo, temos representações nos seguintes Fóruns de Economia Solidária: no Fórum Estadual, no Fórum da Baixada Fluminense e Brasileiro, temos assento nos seguintes conselhos: Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, Conselho Municipal de Planejamento e Gestão e no Conselho Municipal de Igualdade Racial. Atuamos também como Instituição de Assessoria a outras Instituições do 3º Setor. Temos parceria fixa com a Igreja Unção e Vida em Andrade Araújo – Belford Roxo, com o Lar Escola São Judas Tadeu em Heliópolis – Belford Roxo e com o Abrigo de Idosos “Lírio dos Vales” em Santa Rita – Nova Iguaçu. 
  
2.1   APRESENTAÇÃO DE ALGUNS PROJETOS
2.1.2      Cuidador de Idosos
O curso de cuidador de idosos capacita profissionais para zelarem pela integridade física, psicológica e pelo bem-estar de idosos em casas de repouso e em clubes da terceira idade, domiciliar ou para atuarem em acompanhamentos particulares, como também de toda pessoa em estado de vulnerabilidade física (portador de necessidade especiais, idosos, pacientes em estágio de recuperação e etc.). No curso, são abordados tópicos como postura e ética profissional, alimentação e higiene do idoso, uso de materiais de apoio como cadeiras e barras de segurança, lazer e integração social do idoso, ações de emergência, manejo postural do idoso, noções de uso de aparelhos, as principais patologias que podem acometer o idoso e suas características, legislação trabalhista, Estatuto do Idoso e a Lei Maria da Penha. Após todas as etapas do curso teórico e estágio, encaminhamos ao Mercado de Trabalho.
2.1.2.1     Atuação do Projeto
Curso profissionalizante de 40h teóricas e 60h de estágio supervisionado, o aluno receberá uma apostila com todo o conteúdo, será necessário que os alunos participem do curso devidamente uniformizados de acordo com a exigência da profissão. Após as etapas encaminhamos para algumas agências e informamos também as Agências e Cooperativas da área.
2.1.2.2        Público–Alvo
O curso de cuidador de idosos, ao contrário do que o senso comum indica, não é recomendado apenas para profissionais da área da saúde. O curso pode ser feito por pessoas vinculadas ou não a essa área. No geral, ele pode ser feito tanto para fins profissionais, visto que é um setor que está em plena expansão, quanto para fins pessoais, como é o caso de quem tem familiares idosos e não querem pagar por esse tipo de serviço. Não há uma exigência de escolaridade, mas recomenda-se que se tenha certo perfil psicológico compatível com a função, pois cuidar de idosos e pessoas em vulnerabilidade física, como se sabe, não é algo fácil. Atuamos com pessoas a partir de 18 anos, escolaridade a partir do ensino fundamental completo ou uma avaliação antes do grau de conhecimento da (o) estudante.

2.1.2.3        Perspectivas no mercado de trabalho
O mercado de trabalho para cuidadores de idosos está em alta, sobretudo, se considerar os estudos feitos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que apontam para um crescimento populacional brasileiro em ritmo acelerado. Segundo o instituto, no ano de 2008, para cada grupo de 100 crianças entre 0 a 14 anos, existiam 25 idosos (pessoas acima dos 65 anos), já para os próximos anos, até 2050, esse cenário mudará radicalmente, existindo cerca de 172 idosos para cada grupo de 100 crianças entre 0 a 14 anos. Nesse contexto, nota-se que além das vagas já existentes, há uma previsão de grande demanda de profissionais nessa área. Os cuidadores de idosos podem trabalhar em casas de repouso, hospitais, centro de recuperação, além do serviço domiciliar. Nesse último caso, pode-se trabalhar em tempo integral ou mediante escala.

2.1.2.4        Média Salarial
O salário inicial de um cuidador de idosos qualificado pode variar bastante de acordo com a jornada de trabalho exercida. Em muitos casos, os cuidadores que trabalham mediante escala de 12 x 36h ou 24X48, também como horista, podem garantir salários entre 950 a 1.700 reais. Já os profissionais que se dispõe a cumprir jornadas integrais, dormindo na casa dos idosos, chegam a garantir salários que variam entre 2000 a 4.000 reais, fora os benefícios que são oferecidos.



2.1.3 Sacando Bem
O Projeto atua na área do esporte (artes marciais, caminhada, ginastica e etc.) e cidadania (Prevê conhecimento referente a direitos, atividades voltadas ao respeito ao meio ambiente e etc.), com profissionais qualificados e federados, com valor popular, voltado a toda família, tendo como maior foco: mulher, crianças, adolescente e idosos. Atuamos em parceria com outras Instituições e Espaços: Escolas, Igrejas, praças que tenham equipamentos de ATI e etc.

2.1.3      Curso Formação de Lideranças

O Projeto Curso Formação de Lideranças - “Fomentando conhecimento para garantia da Cidadania”; Irá Desenvolver um trabalho de empoderamento das Lideranças Comunitárias e/ou Políticas, tendo o foco principal as mulheres, instrumentalizando-as como liderança, rompendo uma cultura política, que nos coloca como beneficiárias passivas de políticas assistenciais, voltadas essencialmente para a maternidade, o amparo à infância e à velhice. Vamos mostrar os avanços da luta feminista no contexto das políticas para as mulheres e o panorama no plano municipal, nossas conquistas, nossas perdas e nossos desafios, mediante a realização de oficinas diversas, fomentando a quebra do ciclo da violência doméstica da mulher e do idoso, através das atividades desenvolvidas pela Instituição MP Mulheres. Considerando-se que um dos fatores de impedimento da mulher de romper o ciclo de violência doméstica - a violência nas relações familiares e afetivas que está presente em seu cotidiano, acrescida da dependência econômica da família em relação ao agressor, sejam as dificuldades vividas pela mulher, portanto com este projeto daremos uma oportunidade da mulher de resgate de sua Auto-estima, do reconhecimento de sua importância na história deste País e nas relações familiares, o reconhecimento que ela: mulher, filha, neta, mãe, irmã, etc. deve ser protagonista de sua história.  No âmbito da terceira idade a violência cresce por parte de familiares ou pessoas ligadas a eles, hoje é claro que a população está envelhecendo, mas sem a dignidade devida.

A luta feminista alcançou muitos avanços neste contexto favorável. As mulheres feministas criaram novas instituições: os conselhos de defesa dos direitos da mulher, as delegacias da mulher, Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher, os mecanismos de políticas para mulheres, e muito mais, confrontamos o poder do Estado patriarcal de muitas formas: atuando por dentro, formando o funcionalismo público, reorganizando serviços, assessorando administrações públicas e nelas trabalhando na gestão, e por fora, brigando por cotas nas eleições e democracia na política, fazendo pressão, protestos e manifestações públicas, portanto este trabalho irá melhor instrumentalizar as lideranças.
2.1.4.1  Atuação do Projeto
O Projeto Curso Formação de Lideranças - “Fomentando conhecimento para garantia da Cidadania”, irá atuar na qualificação das lideranças, com foco às mulheres maiores que já atuam como liderança em várias áreas da sociedade civil. O Projeto Curso Formação de Lideranças, tem a responsabilidade de integrar as políticas públicas destinadas as Mulheres, Economia Solidária e Família, dando mecanismo às lideranças de acessarem e fiscalizarem estas políticas. 

2.1.4.2     Usuários do Projeto e o tempo de participação
Teremos a participação de homens e Mulheres a partir de 18 anos, moradores da Baixada Fluminense, que tenha o perfil de liderança, atuante em vários seguimentos como: Associações de Moradores, Sindicatos, Partidos Políticos, Conselhos, ONGs, Igrejas, Escolas, etc.
Teremos encontros uma vez por semana com 2h30 horas de duração para cada turma, totalizando 40,00 horas, ao final do curso será entregue o Certificado.


2.1.5         Colcha de Retalhos ou Viver é Arte

Curso de Economia Solidária, Geração de Renda e Cidadania, tendo como foco desenvolver os talentos através do respeito ao meio ambiente, economia solidária e o desenvolvimento humano, voltado as comunidades carentes e artesãos, contribuindo para igualdade de oportunidade no mundo do trabalho, incentivando este público a conhecer, avaliar as diretrizes que a Sociedade está caminhando, incentivar  a autonomia econômica, a Auto-estima feminina, para a quebra do ciclo da violência doméstica e social.

O Projeto tem como foco principal qualificar capacitando as pessoas assistidas em especial as mulheres e jovens, para a área do artesanato, trabalhar o sentimento de cidadania e empoderar as pessoas assistidas em diversas áreas como: Técnicas diversas de artesanato, Vara da Família, doenças sexualmente transmissíveis, Conhecimentos básicos de Moda, Maquiagem, Etiqueta Profissional (Comportamento Social, aparência, etc.), violência doméstica e etc. Neste projeto também desenvolveremos curso de: etiqueta profissional (comportamento social, aparência e etc.), maquiagem e cabelo, expressão corporal, legislação e normas, cursos básicos de comunicação e expressão e noções de economia.

2.1.5.1        Resultado Esperado
Este projeto tem como objetivo contribuir de maneira significativa para as possibilidades das pessoas assistidas no projeto de seu crescimento profissional e criação do empreendedorismo comunitário ou individual, criando condições favoráveis para formulação de ações voltadas para o foco de cada capacitação.

2.1.5.2      A Integração do Projeto com as Políticas Públicas
O Projeto tem a responsabilidade de integrar as políticas públicas destinadas Economia Solidária, o combate a violência doméstica, o incentivo ao retorna à sala de aula, por meio do empreendedorismo comunitário e/ou individual, desenvolvendo um novo modelo de comunicação para qualificação mais moderna em sintonia com a sociedade do conhecimento e dar as pessoas em especial as mulheres assistidas no projeto a oportunidade de participar das escolhas feitas. Iremos investir em direitos, serviços e fomentar o conhecimento das políticas que garantam mais oportunidades para mulheres chefes de família. A Equipe Técnica do Projeto irá trabalhar baseada no diagnostico apresentado pela sociedade local, através de reuniões.

 



































MP Mulheres: Mulher: conquistas e desafios no Século XXI

MP Mulheres: Mulher: conquistas e desafios no Século XXI: Durante muito tempo, atravessando séculos e história, lutamos pelo principio básico, que é o direito há uma vida sem violência, com igualda...

Mulher: conquistas e desafios no Século XXI


Durante muito tempo, atravessando séculos e história, lutamos pelo principio básico, que é o direito há uma vida sem violência, com igualdade, que temos tantos direitos como os homens.
Durante o decorrer do período nos unimos a várias LUTAS, por reconhecimento, que nós mulheres começaramos a ocupar um espaço antes reservado somente aos homens, o público.
Das lutas eventuais passaram aos movimentos sociais de maior expressão em busca da igualdade, de reconhecimento e de respeito às diferenças naturalmente existentes entre homens e mulheres. A partir deste momento, as mulheres adquiriram uma nova identidade, que possibilitou uma nova história para nós mulheres, agora com direitos assegurados formalmente e inseridas nos diversos campos de atuação do mercado de trabalho.
O século XXI relata está nova realidade, com mulheres inseridas no mercado de trabalho em diversas áreas de atuação, à frente de postos de comando, mulheres independentes que não mais se sujeitam à violência por parte dos maridos ou companheiros, mulheres com voz ativa na sociedade tomando decisões importantes no contexto social, mulheres com liberdade e direito de expressão, enfim, mulheres cidadãs, porém, isso não quer dizer que as desigualdades deixaram de existir, elas persistem, todavia de forma mais amena, vez que grande parcela da população de mulheres, atualmente, não silencia.
Em contraste com este relato, apesar de dar sua contribuição à família, às empresas, à sociedade, a mulher ainda tem sido considerada uma força de trabalho secundária, mais cara e menos produtiva. A maternidade é central na produção da imagem secundarizada da mulher como trabalhadora. A imagem dominante é sempre a existência de um risco permanente de gravidez entre as mulheres trabalhadoras. Contudo, é dado objetivo que o número de filhos por mulher na força de trabalho vem-se reduzindo significativamente nas últimas décadas.
Também temos a questão do cuidado, que se associa naturalmente a ela: com os filhos, com a casa, com os idosos, com o marido. Há sempre uma força pressionando a mulher à volta para o mundo privado do lar.
Devo ressaltar, que com o passar dos anos, foram sendo incorporados no ordenamento jurídico novos direitos para as mulheres, direitos estes que foram conquistados arduamente por meio dos movimentos sociais engendrados por nós mulheres, que teve como consequência a abertura de uma nova visão de relações de gênero capaz de construir uma “nova sociedade”.
As mulheres de hoje superaram a antiga polarização, atualmente a maioria de nós trabalhamos, temos direito à licença maternidade, conservando a superioridade que possuem pelo fato de poder dar à luz. Os filhos são para nós uma fonte de poder, e é muito raro que o pai tenha uma relação tão forte com eles. Nós mulheres pensamos mais em termos de superação do que de inversão ou compensação das desigualdades.
O que se vive na contemporaneidade não se trata de uma nova polarização: esta nova sociedade busca reconstruir a unidade de um mundo que ficou dilacerado entre um universo masculino definido como superior e um universo feminino, definido como inferior. As mulheres não buscam construir uma sociedade de mulheres, “considerada mais doce e mais afetiva do que uma sociedade dos homens, julgada mais conquistadora e mais voluntariosa” (TOURAINE, 2007, p.117), mas sim um novo modelo de cultura que possa ser vivido por todos, por homens e mulheres. O que NÓS pretendemos é harmonizar o que havia sido separado anteriormente, numa polarização entre os sexos masculino e feminino, que gerou extremas tensões e conflitos. Essa cultura nova busca recompor a experiência pessoal a coletiva, e igualmente unir o que tinha sido separado.
Vamos refletir: Thereza Cristina Santos





MP Mulheres: Como definir o artesanato?

MP Mulheres: Como definir o artesanato?: O artesanato, assim como a moda e o design, está incluído no que se convencionou chamar economia criativa, e quando incluímos o desenvolv...

Como definir o artesanato?


O artesanato, assim como a moda e o design, está incluído no que se convencionou chamar economia criativa, e quando incluímos o desenvolvimento humano, repeito ao meio ambiente e desenvolvimento local, podemos definir como "ECONOMIA SOLIDÁRIA".
Artesanato, os filósofos, teóricos e artistas discutem este tema a muito e muito tempo. Arte é linguagem, a expressão de um cotidiano, de uma história, o diferencial do ser humano de expressar, sentimentos, simbolizar expressões, culturas e anseios.
Gosto muito da definição da Unesco (1997): “Produtos artesanais são aqueles confeccionados por artesãos, seja totalmente à mão, com o uso de ferramentas ou até mesmo por meios mecânicos, desde que a contribuição direta manual do artesão permaneça como o componente mais substancial do produto acabado.”
O artesanato é a reprodução em serie de um objeto desenvolvido por uma artesã/ão e/ ou um grupo de artesãos que o elabora e comercializa. Trata-se de forma tradicional da produção familiar, desenvolvida na residência do artesão.




terça-feira, 10 de janeiro de 2017

MP Mulheres: MP em Movimento

MP Mulheres: MP em Movimento: Terça-feira, o MP Mulheres fez visita domiciliar e entregou os Biscoitos para o Lanche do Projeto "Curumin" no Lar Escola São Juda...

MP em Movimento

Terça-feira, o MP Mulheres fez visita domiciliar e entregou os Biscoitos para o Lanche do Projeto "Curumin" no Lar Escola São Judas Tadeu. Realização : MP Mulheres - Apoio: Piraquê




MP Mulheres: Economia Solidária de Belford Roxo - FESBEL

MP Mulheres: Economia Solidária de Belford Roxo - FESBEL: Reunião em 09/01 segunda feira na Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego do Fórum de Belford Roxo - FESBEL, com a presença do Poder Públ...

Economia Solidária de Belford Roxo - FESBEL

Reunião em 09/01 segunda feira na Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego do Fórum de Belford Roxo - FESBEL, com a presença do Poder Público Municipal, Fórum de Economia Solidária da Baixada Fluminense, Faculdade ABEU e outras Instituições